Não dê força à extrema-direita.

Esta semana, uma sondagem da Aximage para a TSF dava conta que a abstenção nas presidenciais de janeiro pode atingir números que nunca experimentámos. No Fórum, Pedro Adão e Silva chamou a atenção para o facto de, em matéria de abstencionismo, os estudos de opinião pecarem sempre por defeito e aquela sondagem apontava para perto de 60% os que afirmam não pretender exercer o seu direito.

A abstenção por convicção de vitória fará o seu caminho numa eleição que todos dão como ganha à partida por Marcelo Rebelo de Sousa. A pandemia e o medo de ser infetado nas filas para votar também vai contribuir para o recorde e só falta mesmo que o dia 24 de janeiro seja um dia de temporal. Manuel Acácio chamou-lhe a tempestade perfeita. Como anda a política tem tudo para correr mal.

Não desista de lutar pelo que lhe diz respeito. Não aceite que outros escolham por si. Pode ser que seja verdade e Marcelo ganhe fácil a reeleição, mas quem quer que venha a ser Presidente da República em março do próximo ano vai precisar de toda a força política que só uma eleição com forte participação lhe pode dar. O próximo mandato presidencial vai ocorrer num período de grande incerteza política, económica e social.

Os novos partidos vieram para ficar e têm um grande potencial de crescimento. É uma das vantagens da Democracia, mas quantos mais partidos têm assento parlamentar mais difícil se torna conseguir uma maioria estável para governar.

A economia começará a recuperar mas, infelizmente, essa recuperação deverá ser tão desigual como foram os estragos que a pandemia provocou. Há muita gente, muita gente mesmo, para quem não haverá emprego nos próximos meses ou mesmo nos próximos anos.

Nenhuma sociedade está preparada para um caminho que pode deixar tanta gente para trás. A divisão que já hoje se faz sentir com um grande grau de intolerância no debate político pode gravar-se num futuro próximo, fornecendo combustível para que a extrema-direita cresça.

Vamos precisar de um ou de uma presidente forte. Vamos precisar que ele ou ela falem em nome de uma larga maioria dos portugueses. Vamos precisar de quem seja capaz de unir os portugueses. Não desista. A Democracia precisa do seu voto.

Paulo Baldaia na TSF

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s